Mercado imobiliário: o que é mito e o que é verdade na hora de comprar um imóvel?

Você conhece aquela brincadeira do telefone sem fio? Nela, uma pessoa fala algo e conforme essa mensagem vai passando pelos participantes, o conteúdo vai mudando.

Quando o assunto é o financiamento imobiliário, acontece algo semelhante. Muita gente acaba passando para frente informações incorretas sobre processo de compras, contratos etc.

Pensando nisso, nós decidimos reunir alguns dos maiores mitos sobre financiamento imobiliário que já ouvimos, de modo a ajudar a esclarecê-los. Vamos entender o que é verdade e o que é mentira na hora de comprar uma casa?

1. “O financiamento imobiliário é inacessível para jovens”


Mito. Muitas pessoas acham que apenas indivíduos mais maduros conseguem acesso ao financiamento e que os bancos não liberam crédito para os jovens. Isso não é verdade.

O que os bancos consideram na hora de aprovar um financiamento imobiliário é a capacidade de o cliente arcar com os pagamentos. Para isso, ele deverá demonstrar organização financeira em relação ao seu orçamento doméstico.

No entanto, a idade do comprador pode, sim, limitar o tempo máximo para o pagamento das parcelas do financiamento. A soma da idade do contratante mais o tempo de financiamento não pode extrapolar 80 anos e seis meses.

Então, uma pessoa com 50 anos pode financiar o seu imóvel por, no máximo, 30 anos — é aí que o fator “idade” se torna relevante na operação.

2. “Financiar é mais caro do que alugar”


Mito. Quem mora de aluguel sabe que os reajustes do valor do contrato podem causar um rombo nas contas do dia a dia. Neste ano, os alugueis serão reajustados em cerca de 20%, pois o IGP-M, índice usado para o reajuste, teve
a maior alta desde 2002.

Tudo isso precisa ser calculado na hora de comparar o aluguel com o financiamento. O fato é que o valor do aluguel pode ser bem mais alto do que o pago por quem financia um imóvel — com a diferença de que ao financiar um imóvel, você está comprando uma casa e não pagando por um serviço.

3. “É preciso ter um bom score de crédito para financiar”


Verdade. Score de crédito é uma pontuação que os bancos dão aos clientes, classificando-os em relação ao nível de risco de inadimplência. Obviamente, pessoas com uma pontuação muito baixa representam risco maior e têm acesso a condições de financiamento mais caras.

Por isso, negocie dívidas em atraso, pague suas contas em dia, cancele cartões que não usa e poupe dinheiro. Isso ajuda a aumentar o seu score de crédito.

4. “Qualquer pessoa pode participar do MCMV ou Casa Verde e Amarela”


Mito. Programas de acesso à moradia, como Minha Casa Minha Vida (MCMV), Casa Verde e Amarela e projetos da Companhia de Habitação Popular de Curitiba (COHAB) etc. atendem nichos específicos. Apesar de serem públicos, não atendem a 100% dos brasileiros, pois nem todos precisam deles.

O Casa Verde e Amarela é uma nova versão do MCMV, alterando alguns detalhes do antigo programa — por isso, as regras são bem semelhantes. Esse programa atende às classes mais populares, mas também a classe média. Falamos mais sobre o programa Casa Verde e Amarela anteriormente no blog.

A forma mais simples de financiar um imóvel pelo Casa Verde e Amarela é procurando uma empresa parceira do programa, como é o caso da Incorporare. O Villaggio San Marino, localizado em Curitiba, e o Villaggio San Marco, localizado em Araucária, são exemplos de imóveis que podem ser financiados pelo programa.

Como vimos, existem muitos mitos sobre o financiamento imobiliário. É preciso estar atento a eles para não ter prejuízo, gastando o seu dinheiro com aluguel, quando você poderia estar comprando a sua casa própria.